Metilfenidato (Concerta)

CONCERTA*
cloridrato de medilfenidato

Comprimidos de liberação prolongadaComprimidos de liberação prolongada em embalagem contendo 30 comprimidos.
USO ADULTO E PEDIÁTRICO (em crianças acima de 6 anos de idade)Cada comprimido contém:
Cloridrato de metilfenidato ……………………………..………………. 18 mg
Excipientes: hidroxitolueno butilado, cera de carnaúba, acetato de celulose, hipromelose, lactose, ácido
fosfórico, poloxamer, polietilenoglicol, óxidos de polietileno, povidona, propilenoglicol, cloreto de sódio,
ácido esteárico, ácido succínico, óxidos de ferro sintéticos, dióxido de titânio e triacetato de glicerol.
Concerta 36 mg
Cada comprimido contém:
Cloridrato de metilfenidato ……………………………………..………. 36 mg
Excipientes: hidroxitolueno butilado, cera de carnaúba, acetato de celulose, hipromelose, lactose, ácido
fosfórico, poloxamer, polietilenoglicol, óxidos polietileno, povidona, propilenoglicol, cloreto de sódio, ácido
esteárico, ácido succínico, óxidos de ferro sintéticos, dióxido de titânio e triacetato de glicerol.
Concerta 54 mg
Cada comprimido contém:
Cloridrato de metilfenidato ………………………………………..……. 54 mg
Excipientes: hidroxitolueno butilado, cera de carnaúba, acetato de celulose, hipromelose, lactose, ácido
fosfórico, poloxamer, polietilenoglicol, óxidos de polietileno, povidona, propilenoglicol, cloreto de sódio,
ácido esteárico, ácido succínico, óxidos de ferro sintéticos, dióxido de titânio e triacetato de glicerol.

CONCERTA – INFORMAÇÕES AO PACIENTE:
Ação esperada do medicamento: Concerta*
é um medicamento de uso em dose única diária para o
tratamento do Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH). Seu princípio ativo é o metilfenidato,
um estimulante do sistema nervoso central, que aumenta a atenção e reduz a impulsividade e hiperatividade
em pacientes com Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade. Parte do comprimido de Concerta*
dissolve- se logo após a ingestão, pela manhã, proporcionando uma dose inicial do medicamento; o restante
é liberado lentamente durante o dia, para manter o efeito do medicamento.
Cuidados de armazenamento: Concerta* deve ser conservado em temperatura entre 15ºC e 25ºC.
Proteger da umidade.
Prazo de validade: Verifique na embalagem externa se o produto obedece ao prazo de validade. Não utilize
o medicamento se o prazo de validade estiver vencido. Pode ser prejudicial à saúde.
Gravidez e lactação: A segurança de Concerta* durante a gravidez não está estabelecida. Antes de tomar
Concerta*, informe a seu médico se você está grávida ou se pretende engravidar. Informe seu médico a
ocorrência de gravidez na vigência do tratamento ou após seu término. Como o metilfenidato pode passar
para o leite materno, informe ao médico se estiver amamentando.
Cuidados de administração: Os comprimidos de Concerta* devem ser deglutidos inteiros, pela manhã,
com água, leite ou suco, antes ou após a refeição e não devem ser mastigados, partidos ou esmagados.
Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.
O comprimido de Concerta* não se dissolve completamente após a liberação completa do princípio ativo
e, algumas vezes, pode ser observado nas fezes.
Interrupção do tratamento: Não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu médico.
Reações adversas: Informe a seu médico o aparecimento de reações desagradáveis. As reações adversas
mais comuns são dor de cabeça, dor de estômago, insônia e redução do apetite. Outras reações adversas
que podem ocorrer são: náusea, vômito, tontura, nervosismo, tiques, reações alérgicas, aumento da
pressão arterial e psicose (pensamentos anormais ou alucinações).
TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DE CRIANÇAS
Ingestão concomitante com outras substâncias: Informe seu médico todos os medicamentos que você
estiver tomando, inclusive fitoterápicos (“remédios naturais” ou à base de ervas) e remédios de venda livre
(sem prescriçâo médica). Poderá ser necessário ajustar a dose de alguns medicamentos que você estiver
tomando, especialmente alguns usados no tratamento da depressão (antidepressivos), para prevenir
convulsões (anticonvulsivantes) ou a formação de coágulos sangüíneos (anticoagulantes). Não tome
Concerta* juntamente com inibidores da monoaminoxidase (IMAO).
Contra- indicações: Você não deve tomar Concerta* se for alérgico ao cloridrato de metilfenidato ou a
outros componentes da fórmula; se tiver ansiedade, tensão e ou agitação significativas; se tiver glaucoma
(uma doença dos olhos); se tiver tiques ou síndrome de Tourette ou história familiar desta síndrome.
Precauções: Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início ou
durante o tratamento. Antes de iniciar o tratamento, Informe seu médico se você:
estiver recebendo tratamento para depressão ou tiver sintomas de depressão (tristeza, falta de esperança,
perda de interesse ou prazer),
tiver tiques motores ou verbais ou se alguém de sua família tiver tiques ou Síndrome de Tourette,
tiver pensamentos ou visões anormais, ouvir sons anormais ou tiver diagnóstico de psicose,
tiver convulsões (epilepsia) ou apresentar alguma alteração do eletroencefalograma,
tiver hipertensão arterial (pressão alta),
apresentar estenose (estreitamento) ou obstrução do trato gastrintestinal (esôfago, estômago ou intestino).
Contate seu médico imediatamente se, durante o tratamento, você tiver qualquer destes sintomas ou
condições.
O uso abusivo de Concerta* pode levar à dependência. Informe seu médico se você for dependente de
drogas ou de bebidas alcoólicas.
Efeitos sobre a capacidade de dirigir e operar máquinas: Concerta* pode causar tontura. Portanto,
você deve ter cuidado ao dirigir veículos ou operar máquinas.
NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO, PODE SER PERIGOSO PARA A
SAÚDE.

CONCERTA – INFORMAÇÕES TÉCNICAS:
Características
Farmacodinâmica
O cloridrato de metilfenidato é um estimulante do sistema nervoso central. O mecanismo de ação terapêutica
no Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) não é conhecido. Acredita- se que o
metilfenidato bloqueie a recaptação de norepinefrina e dopamina no neurônio pré-sináptico e aumente a
liberação destas monoaminas no espaço extraneuronal. O metilfenidato é uma mistura racêmica composta
por isômeros d e I. O isômero d tem atividade farmacológica maior que o isômero I.
Farmacocinética
Absorção
O metilfenidato é rapidamente absorvido. Após a administração oral de Concerta* a adultos, a concentração
plasmática de metilfenidato aumenta rapidamente, atingindo um pico inicial em cerca de 1- 2 horas,
e continua a aumentar, gradualmente, nas horas subseqüentes. A concentração plasmática máxima é
atingida em cerca de 6 a 8 horas, após o que inicia- se uma redução gradual do nível plasmático de
metilfenidato. A administração de Concerta* em dose única diária minimiza as flutuações entre as
concentrações plasmáticas de pico e vale associadas com o metilfenidato de liberação imediata
administrado 3 vezes ao dia. A biodisponibilidade relativa de Concerta* em dose única diária é comparável
à do metilfenidato administrado 3 vezes ao dia, em adultos.

CONCERTA – FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÕES:

CONCERTA – COMPOSIÇÃO:
Concerta 18 mg

Não foram observadas diferenças na farmacocinética de Concerta* após administração única ou repetida
da dose única diária, indicando não haver acúmulo significativo do fármaco. A área sob a curva de
concentração plasmática (AUC) e a meia- vida de eliminação (t1/2) após administração repetida da dose
única diária são semelhantes às observadas após a primeira dose de Concerta* 18 mg.
Proporcionalidade à dose
Após a administração de Concerta* em dose única de 18, 36 e 54 mg/dia a adultos, a Cmáx e a AUC(0- inf) do
d-metilfenidato foram proporcionais à dose, enquanto a Cmáx e a AUC(0-inf) do I-metilfenidato aumentaram
desproporcionalmente em relação à dose. Após a administração de Concerta*, as concentrações
plasmáticas do isômero I foram aproximadamente 1/40 das concentrações plasmáticas do isômero d.
Distribuição: Em adultos, as concentrações plasmáticas de metilfenidato declinam biexponencialmente
após a administração oral. A meia- vida do metilfenidato em adultos, após administração oral de Concerta*
é de aproximadamente 3,5 horas.
Biotransformação e excreção
Em humanos, o metilfenidato é essencialmente biotransformado por desesterificação, transformando- se em
ácido a-fenil-piperidino acético (PPA), que tem pouca ou nenhuma atividade farmacológica. Em adultos, a
biotransformação de Concerta*, administrado em dose única diária, avaliada pelo transformação em PPA,
é semelhante a do metilfenidato de liberação imediata, administrado 3 vezes ao dia. A biotransformação
de doses únicas ou repetidas de Concerta* administrado uma vez ao dia é semelhante.
Após administração oral de metilfenidato marcado com radioisótopo, cerca de 90% da radioatividade foi
recuperada na urina. O principal metabólito urinário foi o PPA, correspondendo a aproximadamente 80%
da dose do composto precursor.
Efeito de alimentos
Em pacientes, não houve diferença na atividade quer farmacodinâmica quer farmacocinética de Concerta*
quando administrado após uma refeição com elevado teor de gordura. Não há evidência de alteração da
absorção na presença ou ausência de alimentos.
Populações especiais
Sexo: em adultos normais, a média dos valores da área sob a curva [AUC (0- inf)] de Concerta* ajustados
pela dose foram de 36,7 ng.h/mL em homens e de 37,1 ng.h/mL em mulheres, sem diferença detectável
entre os dois grupos.
Raça: em adultos em uso de Concerta*, a área sob a curva [AUC (0- inf)] ajustada pela dose foi consistente
entre grupos étnicos; entretanto, o tamanho da amostra pode ter sido insuficiente para detectar variações
étnicas na farmacocinética.
Idade: a farmacocinética de Concerta* não foi estudada em crianças com idade inferior a 6 anos.
Insuficiência renal
Não há experiência com o uso de Concerta* em pacientes com insuficiência renal. Após a administração
oral de metilfenidato marcado com radioligantes, o metilfenidato foi extensamente biotransformado e
cerca de 80% da radiotividade foi excretada na urina na forma de PPA. Como a depuração renal não é
uma via importante de clearance do metilfenidato, estima- se que a insuficiência renal tenha pouco efeito
na farmacocinética de Concerta*.
Insuficiência hepática
Não há experiência com o uso de Concerta* em pacientes com insuficiência hepática.

CONCERTA – INDICAÇÕES:
Concerta*
é indicado para o tratamento do Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH). A
eficácia de Concerta* no tratamento do TDAH foi estabelecida em três ensaios clínicos controlados de
crianças com idade entre 6 e 12 anos que preenchiam os critérios do DSM IV para TDAH.

CONCERTA – CONTRA-INDICAÇÕES:
Concerta*
é contra-indicado:
•  Em pacientes com ansiedade, tensão e agitação acentuadas, pois pode agravar
estes sintomas.
•  Em pacientes com hipersensibilidade conhecida ao metilfenidato ou a outros
componentes da fórmula do produto.
•  Em pacientes com glaucoma
•  Em pacientes com diagnóstico ou história familiar de Síndrome de Tourette.
•  Durante tratamento com inibidores da monoaminoxidase (MAO) e, também,
durante um período mínimo de 14 dias após a descontinuação do inibidor da
MAO (pode ocorrer crise hipertensiva).

CONCERTA – ADVERTÊNCIAS E PRECAUÇÕES:
Concerta*
não deve ser usado em crianças com menos de 6 anos de idade.
Não há ainda dados suficientes disponíveis sobre a segurança de uso a longo
prazo do metilfenidato.
Estimulantes do sistema nervoso central, incluindo o metilfenidato, têm sido
associados com início ou exacerbação de tiques motores e verbais. Portanto,
avaliação clínica do paciente em relação a tiques deve preceder o uso de
medicação estimulante. A história familiar deve ser verificada.
Embora uma relação causal não esteja estabelecida, redução no crescimento
(ganho ponderal e/ou estatural) tem sido relatada com o uso prolongado de
estimulantes em crianças. Portanto, pacientes que necessitem tratamento a longo
prazo devem ser cuidadosamente monitorados. Crianças que não estejam
crescendo ou ganhando peso conforme o esperado devem ter o tratamento
interrompido.
Concerta* deve ser deglutido inteiro, com auxílio de líquidos. Os comprimidos
não devem ser mastigados, partidos ou esmagados. Em razão do mecanismo de
liberação controlada do medicamento, Concerta* só deve ser utilizado em
pacientes capazes de deglutir o comprimido inteiro. O medicamento é contido em
um invólucro não absorvível, desenhado para liberar o fármaco de maneira
controlada. O invólucro do comprimido, juntamente com componentes insolúveis
de seu núcleo, é eliminado do organismo; os pacientes não devem se preocupar,
se ocasionalmente notarem nas fezes algo que se assemelhe a um comprimido.
Como o comprimido de Concerta* não sofre alteração significante de sua forma
no trato gastrintestinal, Concerta* não deve ser administrado a pacientes com
estenose gastrintestinal grave pré- existente (patológica ou iatrogênica) ou em
pacientes com disfagia ou dificuldade de deglutição significativas. Têm ocorrido
relatos raros de sintomas obstrutivos relacionados à ingestão de fármacos em
formulações não- deformáveis de liberaçâo controlada, em pacientes com estenose
conhecida.
Concerta* não deve ser usado para tratar depressão grave e/ou prevenir ou tratar
estados normais de fadiga.

Concerta* deve ser administrado com cautela nas seguintes condições:
Psicoses: a experiência clínica sugere que a administração de metilfenidato a
pacientes psicóticos pode exacerbar sintomas de alteração do comportamento
e distúrbio do pensamento.
Hipertensão arterial e outras condições cardiovasculares: em estudos clínicos,
tanto Concerta* como o metilfenidato de liberação imediata aumentaram a
freqüência cardíaca em repouso, em média em 2- 6 bpm e produziram aumentos
médios de 1-4 mmHg na pressão sistólica e diastólica durante o dia, em
comparação ao placebo. Portanto, recomenda- se cautela no tratamento de
pacientes cuja condição médica subjacente possa ser comprometida por
aumento da pressão arterial ou da freqüência cardíaca. A pressão arterial e a
freqüência cardíaca devem ser monitoradas regularmente em pacientes em uso
de Concerta*, especialmente naqueles com hipertensão.
Abuso ou dependência de drogas: deve ser administrado com cautela
em pacientes com história de dependência de drogas ou alcoolismo. O uso
abusivo crônico pode levar a tolerância acentuada e dependência psicológica,
com graus variáveis de alteração do comportamento. Episódios psicóticos
francos podem ocorrer, especialmente com abuso por via parenteral. Supervisão
cuidadosa é necessária durante a retirada do uso abusivo pois pode ocorrer
depressão grave. A interrupção do medicamento após uso terapêutico crônico
pode precipitar sintomas do transtorno subjacente, que podem necessitar
acompanhamento.
Convulsões: há evidência clínica de que o metilfenidato pode reduzir o limiar
convulsivo em pacientes com história de convulsões, em pacientes sem
convulsões mas com alterações anteriores no EEG e, muito raramente, em
pacientes sem história de convulsões ou alterações eletroencefalográficas
anteriores. Na ocorrência de convulsões, o tratamento deve ser descontinuado.
Sintomas de distúrbios visuais têm sido observados em casos raros. Dificuldade
de acomodação e turvação visual têm sido relatadas.
Monitoração hematológica periódica (hemograma completo com contagem total
e diferencial de leucócitos e contagem de plaquetas) é recomendável durante
tratamento prolongado.

CONCERTA – Gravidez e lactação:
A segurança do metilfenidato para uso durante a gestação não está estabelecida.
Não há estudos disponíveis sobre o uso de Concerta* em mulheres grávidas.
Portanto, Concerta* só deve ser usado durante a gravidez, se os potenciais
benefícios justificarem o potencial risco para o feto.
O cloridrato de metilfenidato apresentou efeitos teratogênicos em coelhos
quando administrado na dose de 200 mg/kg/dia, equivalente a aproximadamente
100 vezes a dose máxima recomendada em humanos com base em mg/kg.
Não foram observados efeitos teratogênicos em ratos em doses de até 30
mg/kg/dia de cloridrato de metilfenidato, resultando em uma exposição sistêmica
ao metilfenidato equivalente à aproximadamente 9 a 12 vezes a observada em
estudos em voluntários e pacientes com a dose máxima recomendada de
Concerta*, determinada com base em dados farmacocinéticos.
O metilfenidato não prejudicou a fertilidade em camundongos que receberam até
160 mg/kg/dia de metilfenidato em um estudo de acasalamento contínuo por 18
semanas.
Não se sabe se o metilfenidato é excretado no leite humano. Uma vez que vários
fármacos são excretados no leite humano, recomenda- se cautela ao se prescrever
Concerta* para uma lactante.
Efeitos sobre a capacidade de dirigir e operar máquinas
Não foram realizados estudos sobre o efeito de Concerta* na capacidade de
dirigir veículos e operar máquinas. Entretanto, Concerta* pode causar tontura.
É, portanto, recomendável cautela ao dirigir, operar máquinas ou realizar tarefas
que necessitem atenção.

CONCERTA – INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS:
Concerta*
não deve ser usado em pacientes em tratamento (corrente ou nas
2 semanas anteriores ao início do tratamento) com inibidores da MAO.
Em razão de possíveis aumentos na pressão arterial, Concerta* deve ser usado
com cautela em associação com agentes vasopressores.
Estudos farmacológicos em humanos demonstraram que o metilfenidato pode
inibir a biotransformação de anticoagulantes cumarínicos, anticonvulsivantes (por
exemplo, fenobarbital, fenitoína, primidona) e alguns antidepressivos (tricíclicos e
inibidores seletivos de recaptação de serotonina). A redução da dose desses
fármacos pode ser necessária se eles forem administrados em associação com
metilfenidato. Ao se iniciar ou descontinuar o metilfenidato, pode ser necessário
ajustar a dose e monitorar as concentrações plasmáticas (no caso de cumarínicos,
o tempo de coagulação) do fármaco associado.
Eventos adversos graves foram relatados durante o uso concomitante com
clonidina, embora não tenha sido estabelecida uma causalidade para a combinação.
A segurança do uso de metilfenidato em associação com clonidina ou outro
agente alfa- 2 agonista de ação central não foi avaliada de forma sistemática.

CONCERTA – REAÇÕES ADVERSAS:
Reações adversas relatadas com o uso de em estudos clínicos:
Os eventos adversos relatados com maior freqüência (≥ 10%) incluem: cefaléia,
epigastralgia, perda de apetite, insônia.
Outros eventos adversos comuns (≥ 1% e < 10%) incluem: exacerbação de
sintomas, astenia, hipertensão arterial, náusea e/ou vômito, dispepsia, perda de
peso, tiques, tontura, labilidade emocional, sonolência, ansiedade, depressão,
nervosismo, hostilidade, exantema.
Eventos adversos raros (≥ 0,1% a < 1%) incluem: dor precordial, febre, lesão
acidental, mal- estar, dor, tentativa de suicídio, enxaqueca, taquicardia, diarréia,
incontinência fecal, aumento do apetite, cãibras em membros inferiores, apatia,
alteração do raciocínio, sonhos anormais, alucinações, confusão mental, hipercinesia,
distúrbio do sono, distúrbio da fala, vertigem, aumento da tosse, epistaxe,
alopécia, prurido, urticária, diplopia, poliúria, hematúria e urgência urinária.
A freqüência de efeitos colaterais é semelhante à observada com metilfenidato de
liberação imediata administrado três vezes ao dia.
Experiência pós- comercialização
Reações adversas adicionais muito raras foram relatadas durante a experiência
pós- comercialização: dificuldade de acomodação visual, visão turva, testes de
função hepática anormais (ex. aumento de transaminase), palpitações, arritmia,
leucopenia e trombocitopenia.
Reações adversas observadas com outras formulações contendo metilfenidato
Além das reações mencionadas acima, observadas com Concerta*, as seguintes
reações adversas foram observadas com o uso de outros produtos a base de
metilfenidato:
Reações comuns (≥ 1%): boca seca, prurido, febre e artralgia.
Reações raras (≥ 0,01% a < 0,1%): angina pectoris e leve atraso no crescimento
durante o uso prolongado em crianças.
Reações muito raras (< 0,01%): hiperatividade, convulsões, cãibras musculares,
movimentos coreoatetóides, exacerbação de tiques existentes e síndrome de
Tourette, psicose tóxica (algumas vezes com alucinação visual e tátil), depressão
transitória do humor, arterite cerebral e/ou oclusão, coma hepático, púrpura
trombocitopênica, dermatite esfoliativa, eritema multiforme, anemia e síndrome
neuroléptica maligna mal documentada.

CONCERTA – POSOLOGIA:
Concerta*
não deve ser usado em crianças com menos de 6 anos de idade.
Concerta* deve ser administrado por via oral, uma vez ao dia. Como o efeito é observado até 12 horas
após a administração, o medicamento deve ser tomado pela manhã.
O comprimido deve ser deglutido inteiro com um pouco de líquido, e não deve ser mastigado, partido ou
esmagado.
Concerta* pode ser administrado com ou sem alimentos.
A dose deve ser individualizada de acordo com a necessidade e a resposta do paciente.
A posologia deve ser ajustada em incrementos de 18 mg até o máximo de 54 mg/dia, em dose única
diária, pela manhã. Em geral, o aumento da dose pode ser realizado em intervalos de aproximadamente 1
semana.
Pacientes que não estejam em uso de metilfenidato
A dose inicial de Concerta* recomendada para pacientes que não estejam em tratamento com metilfenidato
ou para pacientes em uso de outros estimulantes é de 18 mg uma vez ao dia.
Pacientes em tratamento com metilfenidato
A dose diária de Concerta* recomendada para pacientes que já estejam em uso de 5 mg de cloridrato
de metilfenidato duas ou três vezes ao dia é de 18 mg. A dose diária de Concerta* recomendada para
pacientes que estejam em uso de 10 mg de cloridrato de metilfenidato duas ou três vezes ao dia é de
36 mg. Em alguns casos, 54 mg podem ser uma dose apropriada. As recomendações posológicas são
baseadas na dose em uso e no julgamento clínico.
O julgamento clínico deve ser usado para selecionar a dose para pacientes que já estejam em tratamento
com metilfenidato em outros regimes posológicos.
Não se recomenda dose diária superior a 54 mg.
Tratamento Prolongado/de Manutenção
O uso prolongado do metilfenidato (mais de 4 semanas) não foi sistematicamente avaliado em estudos
controlados. Se o médico decidir utilizar Concerta* em pacientes com TDAH por período prolongado, a
utilidade do medicamento em cada paciente individual deve ser periodicamente reavaliada, com períodos
sem medicação para verificar a condição do paciente sem o tratamento farmacológico. Pode ser que a
remissão se mantenha, quando o fármaco for descontinuado temporariamente ou permanentemente.
Redução ou descontinuação da dose
Se ocorrer exacerbação paradoxal de sintomas ou outros eventos adversos, a dose deve ser reduzida, ou,
se necessário, o medicamento deve ser descontinuado.

CONCERTA – SUPERDOSE:
Sinais e sintomas
Sinais e sintomas de superdose aguda de metilfenidato, resultantes principalmente de hiperestimulação
do SNC e de efeitos simpatomiméticos excessivos, podem incluir: vômito, agitação, tremores, hiperreflexia,
mioclonias, convulsões (podem ser seguidas de coma), euforia, confusão mental, alucinações, delirium,
sudorese, rubor, cefaléia, hipertermia, taquicardia, palpitações, arritmias cardíacas, hipertensão arterial,
midríase e ressecamento de mucosas.
Tratamento
O tratamento consiste em medidas adequadas de suporte. O paciente deve ser protegido contra automutilação
e de estímulos externos que possam agravar a hiperestimulação já existente. O conteúdo gástrico
deve ser eliminado por lavagem gástrica, se houver indicação. Antes de proceder à lavagem gástrica,
controlar a agitação e convulsões, se houver, protegendo as vias aéreas. Outras medidas de desintoxicação
incluem a administração de carvão ativado e de um catártico. Monitoração em terapia intensiva deve ser
adotada para manter a circulação e respiração adequadas; procedimentos de resfriamento externo podem
ser necessários para controlar a hipertermia.
A eficácia da diálise peritoneal ou hemodiálise extracorpórea não está estabelecida para o tratamento de
superdose de Concerta*.
A liberação prolongada de metilfenidato dos comprimidos de Concerta* deve ser considerada ao se
tratarem pacientes que ingeriram dose excessiva do medicamento.
Pacientes idosos
O uso de Concerta* em idosos não foi avaliado em ensaios clínicos controlados.
Concerta*
Concerta*

O que é TDAH  –  TDAH no AdultoCausas do TDAH Sintomas do TDAH no adultoTratamento do TDAH no adulto

TDAH no AdultoConcertaRitalina  – O que é TDAHCausas do TDAHSintomas do TDAHTratamento do TDAH

Publicado em agosto 5, 2009, em Tratamento do TDAH no adulto e marcado como , , , . Adicione o link aos favoritos. 7 Comentários.

  1. Manuela Ferreira

    Preciso de dicas de como dar o comprimido ao meu filho de anos. Comecei por dar-lo no iogorte, escondido, entretanto ele encontrou-o e começou por negar tomar, depois e durante umas semanas consegui que ele o tomasse, sabendo que ele estava lá.

    Agora não toma diz que não consegue engolir, e eu já não sei mais o que fazer, pois a medicação estava a surtit efeitos e já estava a conseguir melhores resultados na escola.

    Por favor ajudem-me a ajudar o meu menino.

    obrigada

    • André Goldenberg

      Seu médico pode trocar o comprimido de CONCERTA pelo BIPHENTIN® (méthylphénidato). Sua capsula pode ser aberta e o conteudo tomado com leite ou agua.
      (desculpe a falta de alguns acentos ausentes no teclado francês)

  2. meu filho tomou concerta de 18mg durante um periodo de meses e agora a dose passou p/ 36mg mas está apresentando sintomas de bastante agitação e impulsividade que parece até não estar medicado, isso fazem 15 dias. Quero saber se com o uso continuo isso vai desaparecendo e melhorando ?? Seria só uma adaptação a nova dose ??

    GRata,
    Simone

  3. silmara cristina freitas

    meu fillo fas 1ano que toma comcerta ele passou a reclamar de dor de cabeça

  1. Pingback: TESTE TDAH em ADULTOS « Centro de Cefaleia São Paulo

  2. Pingback: Déficit de Atenção no Adulto « Centro de Cefaleia São Paulo

  3. Pingback: Tratamento do TDAH no Adulto « Centro de Cefaleia São Paulo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: